quarta-feira, 6 de março de 2013

Percursos pedestres na Linha do Tua

Perto do apeadeiro de Castanheiro
Continuo a receber muitas mensagens de pessoas interessadas em percorrer a Linha do Tua a pé, em parte ou na totalidade. A maior parte das perguntas repetem-se, e basta uma pequena procura aqui no blogue para as esclarecer.
Uma das perguntas mais frequentes prende-se com os transportes, de forma a puder voltar ao ponto de partida. Estamos a falar de um percurso único, talhado na rocha, com acessos muitos difíceis ou impossíveis ao longo de muitos quilómetros (à exceção da própria linha).

Como voltar ao local de início da caminha, onde ficou o carro? 
Ou se utilizam dois automóveis, colocando um no final da caminhada, seguindo noutro para o início, ou se aproveita o serviço de táxis ainda em funcionamento, em substituição da automotora da linha do Tua, ou se tem que chamar um táxi exclusivo (o que pode ficar bastante caro). Esqueçam os autocarros, levaria mais um dia a voltar ao local de partida, nos poucos pontos onde isso é possível. Não há transportes alternativos, por isso é que alinha é importante.

Partindo de Foz Tua
 Não é aconselhável partir de Foz Tua, mas sim da aldeia de Fiolhal.
Não há transporte até ao Fiolhal e o táxi que faz o serviço da linha também não passa lá, porque segue outro trajeto (por Ribalonga). Alternativas: seguir pela estrada de Foz Tua a Fiolhal (trajeto difícil, longo e que acarreta grande perda de tempo), ou se arranja uma boleia (seria a melhor opção) ou se aluga um táxi (não são muitos quilómetros, o declive é que é acentuado).
Há um caminho bastante circulado que liga a aldeia do Fiolhal à linha do Tua, começando a caminhada ao longo da linha exatamente ao quilómetro 3. Não é possível fazer de outra forma porque a linha é está intransitável no local das obras (embora ainda não tenha sido aplicado nenhum betão).
Sobre este trajeto já escrevi há algum tempo atrás, aqui.

Táxi
 O serviços de táxi faz o circuito Foz Tua - Cachão e vice-versa. Não cobra bilhetes, porque o bilhete é comprado no local de embarque, diretamente para o destino. Quem compra, por exemplo, um bilhete Porto-Mirandela, já está a pagar o trajeto que é feito pelo táxi. Quem inicia o percurso em Foz Tua, ou ao longo da Linha do Tua até Cachão não tem hipótese de comparar bilhete, pelo que, viaja literalmente de borla(!). Já no trajeto descendente, iniciando a viagem no metro de Mirandela, deve comprar bilhete, na estação de Mirandela (e este já vai incluir o táxi).
Túnel de Tralhariz
Confirmei esta semana junto do posto de Turismo de Mirandela que o serviço está operacional e deixo no final deste texto uma ligação para os horários atuais.

Onde se apanha o Táxi?
O táxi apenas tem paragens em Foz Tua, Pombal (na aldeia), Brunheda (junto ao caminho de acesso à estação), Abreiro (na estrada nacional, junto ao caminho da estação) e no Cachão (mesmo na estação). Quer em Brunheda, quer em Abreiro, quem estiver na estação corre o risco de ficar em terra, pois não vê passar o táxi (é uma carrinha de 9 lugares).

Qual a zona mais bonita?
Quando me pedem a opinião sobre o troço mais interessante, ou mais fácil, etc. a minha resposta nunca é simples: gostos não se discutem e, na minha opinião, muita coisa depende da estação do ano. Uma vez que são os primeiros 16 km da linha que vão ficar submersos, parece-me lógico que haja prioridade em percorrer esses quilómetros. Os restantes poderão ser percorridos mais tarde.
Próximo da estação de Abreiro
Para quem goste de caminhadas mais longas, poderá fazer Foz Tua - Brunheda (cerca de 21 Km). Para quem não arrisque tanto e queira fazer um pequeno passeio poderá apreciar Abreiro-Ribeirinha com regresso a Abreiro, uma vez que são poucos quilómetros. Estão na margem direita do blogue alguns exemplos teóricos e outros já realizados, que servem de exemplo.

Subir ou descer?  
 Na minha ideia o percurso descendente ou ascendente depende de vários fatores: disponibilidade dos transportes e conjugação com o serviço de táxi; hora do dia, uma vez que influencia a posição do sol e, obviamente as fotografias. Caminhando para jusante vai-se em direção ao sol.
Há outro fator interessante: se a caminhada for mais longa, os quilómetros iniciais são sempre muito mais apreciados do que os finais, quando o cansaço já marca presença ou até estamos a "lutar contra o relógio".

Há locais difíceis ou perigosos?
Quanto aos túneis, fazem-se bem sem lanterna.  Também não há pontes altas, mas depende da sensibilidade. O local mais assustador seria ao quilómetro 1,4 (viaduto das Presas), mas é onde não se pode passar. O maior perigo é mesmo o de caminhar sobre a gravilha, que pode maçar os pés ou causar alguma entorse. Atenção que as travessas molhadas tornam-se muito escorregadias.

Espero ter respondido à maior parte das questões.
Não se esqueçam de me enviar algumas fotografias e dois ou três parágrafos sobre a aventura.

Horário dos Táxis e do Metro de Mirandela


4 comentários:

darasola disse...

A minha experiência foi muito boa e foi uma grande caminhada.
Podem encontrar o meu relato aqui:
http://darasola.blogs.sapo.pt/32391.html
Agradeço as informações fornecidas na altura.
Cumprimentos
darasola

Nuno disse...

Caro Aníbal Gonçalves,

Sou uma das pessoas que lhe pediu algumas destas informações. É impossível encontrá-las de outro modo. Por isso, acho que este blogue é um verdadeiro serviço público.
Obrigadíssimo pela resposta! Serão muito úteis.

Cumprimentos do
Nuno

Renato Rodrigues disse...

Esta infomação ainda se encontra válida? Estou a pensar fazer a caminhada em meados de Janeiro. Quanto custa o táxi entre Foz Tua e Fiolhal?

Obrigado pelo serviço público

Alexandre Silva disse...

Vou fazer o trajecto amanhã. Há informação actualizada sobre o serviço de táxi?
Parabéns pelo blog!